Curriculum Projetos Humanitários Cursos Fotos Atendimento Fale Conosco
  Paralisia Facial  
         
   
Paralisia Facial é a perda parcial ou total dos movimentos de um lado ou dos dois da face. Acontece devido a perda de função do nervo facial, que é o responsável pela movimentação dos músculos da face (mímica facial), pela gustação do terço anterior da língua, pela inervação das glândulas salivares e pelo funcionamento do músculo estapédio. Com a perda da função do nervo facial, a pessoa perde a capacidade de se expressar. O sorriso passa a ser assimétrico, os olhos têm dificuldade para fecharem, as sobrancelhas não se movimentam e a boca perde a função de reter a saliva. Popularmente as pessoas dizem que a pessoa ficou com a “boca torta”. Todas estas alterações podem acontecer desde formas leves até mais significativas com a perda do tônus muscular e com a evolução até com atrofia da musculatura da face e queda de um lado do rosto.

As causas da paralisia facial são diversas, variando de doenças infectocontagiosas, tumores dentro e fora do crânio, doenças desmielinizantes, trauma com lesão do nervo facial, ressecção do nervo facial para a retirada de tumores que invadam o nervo, virose, e ser idiopática. A causa mais comum e que muitas vezes é dado por exclusão e também chamada de idiopática é a Paralisia Facial de Bell. Nesta situação muitas vezes o paciente não tem nenhum outro sintoma a não ser a paralisia de parte do rosto. Algumas vezes o paciente relata que teve algum sintomas frustros tipo resfriado. Uma das explicações que há na literatura médica é a de que a paralisia facial seja causada por uma neurite (inflamação do nervo), mas não somente do nervo facial mas de vários outros nervos cranianos de uma só vez (pan-neurite). Na neurite os nervos inflamam-se e após dias desinflamam sem comprometimento algum. No caso do nervo facial o que acontece?

O nervo facial passa por dentro de um dos ossos do crânio, sem espaço algum entre sua bainha (revestimento) e o osso. Durante a inflamação o nervo incha, porém como é cercado por osso não tem um espaço para inchar, fica apertado dentro do osso e começa a sofrer. Como a pressão dentro do seu trajeto ósseo aumenta por conta de sua inflamação, o sangue que nutre o nervo não consegue passar por este trajeto e partes do nervo começam a degenerar (morrer). Consequentemente, o nervo deixa de executar suas funções. Como os outros nervos não têm trajeto dentro do osso, podem inflamar, inchar e desinflamar sem déficit algum para sua alimentação, nutrição. Sem déficit de nutrientes, não há sofrimento nervoso e não há déficit de função.

O que fazer quando se suspeita de inflamação do nervo facial e de Paralisia de Bell?
Uma das medidas é a administração de corticóide (poderoso medicamento antiinflamatório) e de um antiviral. O corticóide como um antiinflamatório potente, diminui a inflamação do nervo e a pressão dentro do trajeto ósseo do nervo facial, diminuindo a queda de nutrição e o sofrimento do nervo. O antiviral é dado como uma forma de se combater um infecção viral como causa principal da inflamação. O grande vilão que se tenta combater é o herpes vírus, o mesmo que causa feridas nos lábios e que seria o causador da neurite dos nervos cranianos, entre eles, o nervo facial.

Na grande maioria dos casos e tomando-se estas medidas, a Paralisia Facial de Bell regride completamente em até 90 dias. Em uma pequena porcentagem a paralisia pode persistir. Se durante a  paralisia os exames apontam para uma evolução não favorável uma das opções é retirar o osso ao redor do nervo para que este tenha um espaço maior para inchar sem comprometer sua alimentação.

Quando há seqüela de paralisia facial, não importa a causa, a medida é a proteção do olho e a melhora da função de alimentação em primeiro lugar e após as correções estéticas provocadas pela paralisia. Existem várias formas de se corrigir, dependendo do grau de paralisia. Várias medidas são adotadas com a finalidade de se obter uma simetria mais próxima da normalidade. Entre as várias formas temos procedimentos não invasivos como o a Toxina Botulínica (Botox e Dysport) para diminuir a função do lado não acometido e se obter uma maior simetria entre os lados.

Se o tempo de paralisia não for grande e houver parte do nervo viável ainda, outros procedimentos para salvar o que se resta do nervo pode ser tentado, como por exemplo, o shunt nervoso entre o nervo hipoglosso (da língua e a parte distal do nervo facial) ou a resseção de parte do nervo facial lesado e a reconstrução de uma ponte com outros nervos como o sural (da perna) e o auricular magno (do pescoço). No caso em que a simetria é muito considerável e o tempo de paralisia for grande existem cirurgias para a elevação  da sobrancelha e testa acometidas, e para a elevação da parte do rosto paralisado, tornando-o esteticamente mais aceitável.

As cirurgias dependem do grau de paralisia e do tempo de evolução da doença. Somente uma avaliação detalhada e a realização de exames específicos é que podem nos dar a idéia da melhor técnica a ser utilizada e dos potenciais ganhos que vamos obter. De qualquer forma sempre há esperança para que se tenha uma melhora significativa.

Você é Candidato
• Se tem ou teve Paralisia Facial de qualquer natureza e deseja uma melhora funcional e estética da face.

 
         
 
View our site in english language